mia khalifa porn

Programa Nacional Desporto para Todos 2019

programa nacional desporto para todos


O Programa Nacional de Desporto para Todos (PNDpT) foi elaborado de acordo com as orientações internacionais do movimento Desporto para Todos (DpT) e adota a definição consagrada na Carta Europeia do Desporto, na qual se entende por “desporto todas as formas de atividades físicas que, através de uma participação organizada ou não, têm por objetivo a expressão ou a melhoria da condição física e psíquica, o desenvolvimento das relações sociais ou a obtenção de resultados na competição a todos os níveis”.

O PNDpT assenta o seu enquadramento conceptual na Constituição da República Portuguesa, bem como na Lei de Bases da Atividade Física e do Desporto (Lei n.º 5/2007, de 16 de Janeiro) e num conjunto alargado de orientações institucionais internacionais publicadas pela União Europeia e o pelo Conselho da Europa, pelas Nações Unidas, pela Organização Mundial de Saúde e Comité Olímpico Internacional.

O Programa define um conjunto de objetivos e metas a atingir no contexto do “Desporto de Base”, assumindo como visão uma população mais ativa, adotando estilos de vida saudáveis promotores de uma melhoria da saúde, qualidade de vida e bem estar. A sua missão encontra-se assente em pilares que visam a promoção e o desenvolvimento desportivo, a educação para e pelo desporto e a promoção da saúde.

Nesta área poderá encontrar informação detalhada sobre o PNDpT relativamente ao seu enquadramento conceptual e normativo, aos seus vetores estratégicos e princípios, às suas metas e objetivos, segmentos e áreas de intervenção.

Candidaturas ao PNDpT 2019

O Programa Nacional de Desporto para Todos (PNDpT) vai iniciar um novo período de abertura de candidaturas para o ano de 2019, que decorrerá entre 15 de fevereiro a 15 de março, através do link: http://candidaturas.ipdj.pt/

O que é o PNDpT?

O PNDpT é uma medida de âmbito estrutural que visa apoiar programas desportivos que promovam a generalização da prática desportiva, de âmbito informal, recreativa ou competitiva (não federada), entendida como uma atividade determinante na formação e desenvolvimento integral das/os cidadãs/ãos e da sociedade em geral.

Quem se pode candidatar?

Entidades públicas ou privadas, sem fins lucrativos, que tenham no seu objeto o desenvolvimento da prática desportiva, designadamente: federações desportivas, clubes, associações, coletividades, entre outras organizações cujo objeto social compreenda ou capacite o desporto de base em Portugal.

Prepare a sua candidatura!

Documentos de apoio ao PNDpT:

Programa Nacional de Desporto para Todos

Normas de Candidatura PNDpT 2019

Manual de Normas IPDJ

Manual de Normas Gráficas PNDpT

O apoio será consubstanciado através da celebração de contrato-programa de desenvolvimento desportivo ao abrigo do Decreto-Lei n.º 273/2009, de 1 de outubro.

Os documentos adicionais requeridos para completar a candidatura ao PNDpT são obrigatórios no processo online de candidatura. Quaisquer informações adicionais podem ser esclarecidas através do email: candidatura.desportoparatodos@ipdj.pt

Concurso Nacional de Jovens Empreendedores - 2ª edição

jovens empreendedores 2019

 


A Fundação da Juventude promove a 2ª Edição do Concurso Nacional de Jovens Empreendedores, iniciativa que visa a promoção do empreendedorismo qualificado, criativo e social, fomentando a geração de ideias e de negócios inovadores, junto dos jovens do Ensino Secundário e do Ensino Universitário.

São admitidos a Concurso trabalhos individuais ou em grupo, no máximo, de 4 elementos, acompanhados por um professor/formador responsável pelo projeto.

O júri nacional do Concurso selecionará 76 projetos/trabalhos (referentes ao Ensino Secundário e referentes ao Ensino Universitário) para participarem na Mostra Nacional do Empreendedorismo, que decorrerá no Porto, no início de junho ( de 3 a 5 de junho) de 2019, durante a qual serão atribuídos os prémios aos melhores projetos/trabalhos.

O Concurso Nacional de Jovens Empreendedores é direcionado para jovens que frequentem o Ensino Secundário, em escolas públicas ou privadas, centros de formação profissional ou outras entidades formadoras que promovam ofertas de dupla certificação para jovens e ou jovens que frequentem o Ensino Superior, em universidades públicas ou privadas, ou politécnicos com idades compreendidas entre os 18 e os 25 anos.

Fuel - Alimenta a tua ambição

fuel


O programa de aceleração Fuel está à procura de oito projectos inovadores nas áreas da tecnologia e das indústrias criativas, com o objectivo de os viabilizar. As candidaturas encontram-se abertas até ao dia 30 de Janeiro e, para além dos oito projectos que serão seleccionados, a expectativa da iniciativa é a de poder apoiar até 100 ideias de negócio.

A chamada está direccionada para ideias inovadoras capazes de combinar tecnologia e criatividade. O programa de aceleração Fuel, promovido pelo Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), o Instituto Pedro Nunes (IPN) e o Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes (CeNTI) encontra-se à procura de pessoas com ideias para soluções inovadoras e quer ajudar até 100 destas a poderem transformar-se em negócios.

Entre as várias ideias inovadoras que o programa procura ajudar, serão seleccionadas oito, que receberão o apoio de um programa de aceleração, com a duração de seis meses, que proporcionará a oportunidade de “trabalhar um modelo de negócio com especialistas e mentores”, assim, como possibilitará acesso a redes nacionais e internacionais de investidores, especialistas e empreendedores. Adicionalmente, os candidatos seleccionados vão poder testar, através de projectos piloto, as suas soluções e participar num roadshow a realizar nos Estados Unidos da América, numa série de eventos que proporcionarão visibilidade às várias ideias de negócio.

Dentro do programa de aceleração, as ideias seleccionadas terão ainda a possibilidade de trabalhar na produção de protótipos, dispondo de acesso aos laboratórios e recursos das entidades responsáveis pelo programa.

As candidaturas podem ser realizadas, até ao próximo dia 30 de Janeiro, através do sítio web do programa.

O programa Fuel tem como objectivo estimular a criação de novos negócios nas áreas tecnológica e das indústrias criativas e é co-financiado pela União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), no âmbito do programa de investimento Portugal 2020.

Curso Técnico de Juventude

Plantar uma Árvore

plantar.uma.arvore

O projeto VOLUNTEER ESCAPES – VOLUNTEER with European Solidarity Corps for Activities in Portugal with Ecological Sense tem por objetivo capacitar jovens através de trabalho prático voluntário de gestão da Rede Natura 2000, enquadrado no recém-criado Corpo Europeu de Solidariedade/European Solidarity Corps.

O programa tem como foco as pessoas a acolher, com fortes componentes de comunicação e mobilização de voluntários, acompanhamento dos seus percursos, documentação da sua evolução e disseminação de resultados, não só do ponto de vista das oportunidades abertas pela participação no programa, mas também do ponto de vista da conservação da natureza.

Condições do programa e perfil de voluntários a acolher:

  • Jovens dos 18 aos 30 anos;
  • Não podem ser estudantes nem estar a trabalhar;
  • Residentes em Portugal;
  • Período de voluntariado de 6 meses;
  • Carga horária semanal: máximo 25 horas com 2 dias livres;
  • A entidade de acolhimento garante as condições de alojamento em camarata, alimentação, transporte entre o alojamento e áreas de trabalho e seguro de trabalho;
  • Não são necessários pré-requisitos de formação académica ou experiência de trabalho prévia;
  • O programa inclui uma formação técnica a cargo da entidade de acolhimento;
  • Inclui certificado de participação no programa.

Trabalhos a desenvolver:

  • Identificação de campo do contexto ecológico das áreas a intervir;
  • Identificação de espécies de flora exóticas e invasoras a controlar/ remover;
  • Recolha de sementes autóctones e propagação em viveiro;
  • Identificação de regeneração espontânea de vegetação a proteger;
  • Plantação de espécies autóctones e manutenção de áreas plantadas;
  • Trabalhos de engenharia natural para restauro de linhas de água;
  • Manutenção de percursos pedestres;
  • Campanhas de sensibilização para a redução dos impactes ecológicos de caminhantes;
  • Apresentações em escolas locais para partilha da experiência de voluntariado vivenciada;
  • Coordenação de outras atividades de voluntariado desenvolvidas pela entidade de acolhimento.

Regiões de desenvolvimento do programa:

  • Distrito de Lisboa | Município de Sintra: Parque Natural de Sintra-Cascais
  • Distrito de Vila Real | Município de Vila Pouca de Aguiar: Parque Natural do Alvão-Marão


Para mais informações contactar: volunteer.escapes@plantarumaarvore.org
911 973 609 (Mariana Dias)

web  facebook  blog

Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas

voluntariado.jovem.para.natureza.florestas


O IPDJ, I.P. abriu as candidaturas ao Programa Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas.

O Programa visa promover práticas de voluntariado juvenil no âmbito da preservação da natureza, florestas e respetivos ecossistemas, através da sensibilização das populações em geral, bem como da prevenção contra os incêndios florestais e outras catástrofes com impacto ambiental, da monitorização e recuperação de territórios afetados, da inventariação de espécies vegetais e animais, vigilância fixa e móvel, entre outras (artigo nº 5, do Regulamento nº 124/2018).

Podem candidatar-se ao programa, através da plataforma informática as seguintes entidades:

  1. Organizações Não-Governamentais de Ambiente e Equiparadas;
  2. Organizações de Produtores Florestais;
  3. Associações de jovens inscritas no Registo Nacional do Associativismo Jovem;
  4. Câmaras Municipais;
  5. Juntas de Freguesia;
  6. Estabelecimentos de ensino com ensino secundário e estabelecimentos de ensino superior;
  7. Outras entidades que prossigam objetivos abrangidos pela área de intervenção deste programa.

Os projetos têm as seguintes características:

  • Têm uma duração mínima de 15 dias;
  • A participação de cada voluntário (com idades compreendidas entre os 18 e os 30 anos) tem uma duração máxima de 15 dias (não podendo este realizar dois projetos com menos de 30 dias de intervalo);
  • As atividades diárias, nos projetos, não podem ultrapassar as 5 horas (entre as 9 e as 21 horas, podendo decorrer todos os dias da semana, incluindo sábados, domingos e feriados);
  • O IPDJ, I.P. disponibiliza um apoio às entidades promotoras, num valor que engloba:
    • Uma comparticipação para a gestão do projeto, até ao máximo de 500,00 euros;
    • O ressarcimento dos voluntários (valor jovem/dia).

O Programa decorre ao longo de todo o ano civil, mas os projetos têm que terminar a 30 de novembro de 2018.

Tem como moldura legal o Resolução de Conselho de Ministros nº 166/2017 de 2 de novembro e o Regulamento nº 124/2018 de 21 de fevereiro.

Para mais informações contacte os serviços desconcentrados do IPDJ, I.P., da área geográfica da sede da sua entidade.

Programa Reativar

reativar

 
Os estágios Reativar do Instituto de Emprego e Formação Profissional são uma oportunidade para voltar ao mercado de trabalho.


Os estágios Reativar pretendem promover a reintegração no mercado de trabalho de desempregados de longa e muito longa duração, proporcionar oportunidades de reconversão profissional a públicos com dificuldades de inserção no mercado de trabalho e contribuir para melhorar o ajustamento entre a oferta e a procura de emprego são as principais metas dos estágios Reativar. São esenvolvidos pelo IEFP têm normalmente a duração de 6 meses e contemplam incentivos para as empresas.

Se está desempregado e inscrito no centro de emprego saiba se pode aproveitar este apoio.


Estágios Reativar: para quem?

Esta medida de apoio visa inserir no mercado de trabalho aqueles que estão desempregados há muito tempo. O IEFP salienta que são candidatos prioritários a esta medida os que nos três anos anteriores à data da seleção pelo IEFP não tenham beneficiado de qualquer medida ativa de emprego financiada pelo centro de emprego (com exceção da formação profissional). Os requisitos para realizar um estágio Reativar passam por:

  • Estar desempregado e ter a idade mínima de 31 anos
  • Estar inscrito no centro de emprego há pelo menos 12 meses
  • Nos últimos 3 anos não ter sido apoiado por nenhuma medida de estágios financiada pelo IEFP
  • E estar numa das seguintes situações: ter, no mínimo, uma qualificação de nível 2 do Quadro Nacional de Qualificações; ter uma qualificação inferior ao nível 2 do QNQ mas estar inscritos num Centro para a Qualificação e o Ensino Profissional em processo de reconhecimento, validação e certificação de competências


Quais são os apoios concedidos?

Apoios aos estagiários

Quem fizer este estágio tem direito a:

  • Refeição ou subsídio de alimentação no valor de 4,27 euros
  • Seguro de acidentes de trabalho
  • Bolsa de estágio – depende da qualificação e vai desde uma vez o valor do Indexante dos Apoios Sociais até 1,65 vezes o valor do IAS
Nível de qualificação Valor da bolsa
Nível 2 ou inferior 419,22 (1 X IAS)
Nível 3 503,06 (1,2 X IAS)
Nível 4 544,99 (1,3 X IAS)
Nível 5 586,91 (1,4 X IAS)
Nível 6, 7 e 8 691,71 (1,65 X IAS)


No caso de estagiários com deficiência e incapacidade, vítimas de violência doméstica, ex-reclusos ou que cumpra/tenha cumprido penas ou medidas judiciais não privativas de liberdade ou toxicodependentes em processo de recuperação, a empresa promotora do estágio tem ainda que assegurar o transporte entre a residência habitual e o local de estágio ou de pagar as despesas de transporte ou subsídio de transporte.

Apoios às empresas

As empresas que promovem este tipo de estágios remunerados do IEFP têm direito a incentivos que vão dos 65% aos 80%, que podem ainda ser majorados em alguns casos. A comparticipação do IEFP à empresa inclui:

  • Bolsa de estágio – que chega aos 80% quando se trata do primeiro estágio desenvolvido por uma empresa com 10 ou menos trabalhadores ou quando a entidade promotora seja pessoa coletiva de natureza privada sem fins lucrativos e cuja comparticipação é de 65% nas restantes situações
  • Subsídio de alimentação o valor de 4,27 euros por dia
  • Prémio do seguro de acidentes de trabalho no valor de 13,82 euros (3,296% IAS*)
  • Transporte no valor de 41,92 euros (10% IAS*)


Os apoios podem ser majorados em 15% no caso dos estagiários:

  • Inscritos nos serviços de emprego há mais de 24 meses
  • Com idade superior a 45 anos
  • Com deficiência e incapacidade
  • Que integrem família monoparental
  • Cujos cônjuges ou pessoas com quem vivam em união de facto se encontrem igualmente inscritos no IEFP como desempregados
  • Vítimas de violência doméstica
  • Ex-reclusos ou cumpram ou tenham cumprido penas ou medidas judiciais não privativas de liberdade e estejam em condições de se inserirem na vida ativa
  • Toxicodependentes em processo de recuperação


Como me candidatar ao estágio Reativar?

Cabe às empresas e não aos desempregados candidatar-se a estes estágios do IEFP. Mas se cumpre os requisitos pedidos pode indicar à empresa, quando se candidata a uma oportunidade de emprego ou envia uma candidatura espontânea, que tem perfil para realizar o estágio Reativar. Para o empregador é um benefício extra e a si vai dar-lhe a hipótese de mostrar o que vale enquanto profissional.


Já fiz um estágio Reativar, posso fazer outro?

Sim, mas há condições. Quem já fez um estágio financiado pelo IEFP pode realizar outro desde que tenha subido o seu nível de qualificação, ou seja, se tiver terminado um novo nível de ensino, desde o secundário ao doutoramento. Caso tenha obtido uma nova qualificação numa área diferente da que tinha, também pode voltar a fazer um estágio, desde que seja nessa área.

Fundo para o Emprego Jovem - EEA Grants

eea.grants

 

Através do novo Fundo EEA Grants para o Emprego Jovem, a Noruega, a Islândia e o Liechtenstein, pretendem apoiar medidas que promovam o emprego dos jovens em toda a Europa.

Apesar das tendências positivas verificadas em 2016, o acesso ao mercado de trabalho continua a ser um desafio para os jovens na Europa. Os efeitos da exclusão do mercado de trabalho são graves e constituem uma ameaça para o desenvolvimento da coesão económica e social. Além de ser um desperdício de potencial humano e talento, o desemprego coloca os jovens em risco de pobreza e exclusão social, desafiando o bem-estar individual, saúde e futuro.

Os apoios da EEA Grants 2014-2021 destinam-se a contribuir para a redução das disparidades sociais e económicas na Europa. Reconhecendo a forte ligação entre a igualdade social e económica e a participação no mercado de trabalho, as medidas que visam o emprego dos jovens são incentivadas ao longo dos diferentes programas dos apoios EEA Grants. Além disso, o Fundo para o Emprego Jovem, destina-se especificamente a apoiar iniciativas de projetos transnacionais que promovam um emprego sustentável e de qualidade para os jovens.

Foram previstos 60 milhões de euros para projetos no âmbito deste Fundo. Consulte a Call for Proposals para obter mais informações.

Mais informação consultar: eeagrants.org

 

Corpo Europeu de Solidariedade

corpo.europeu.solidariedade

 

O que é o Corpo Europeu de Solidariedade?

O Corpo Europeu de Solidariedade é a nova iniciativa da União Europeia dirigida aos jovens, dando-lhes a oportunidade de fazer voluntariado ou de trabalhar em projetos, no próprio país ou no estrangeiro, em benefício de pessoas e comunidades de toda a Europa.

Todos os jovens que participam no Corpo Europeu de Solidariedade concordam com a sua Missão e Princípios e comprometem-se a respeitá-los.

Aos 17 anos já te podes inscrever no Corpo Europeu de Solidariedade, mas só podes participar num projeto depois de fazeres 18 anos. A participação nos projetos do Corpo Europeu de Solidariedade está aberta aos jovens até aos 30 anos de idade.

Depois de se inscreverem, os participantes no Corpo Europeu de Solidariedade podem ser selecionados e convidados a integrar uma vasta gama de projetos, relacionados, por exemplo, com a prevenção das catástrofes naturais ou a reconstrução na sequência de catástrofes deste tipo, a assistência em centros de requerentes de asilo ou a resposta a outras questões sociais a nível da comunidade.

Os projetos apoiados pelo Corpo Europeu de Solidariedade podem durar entre dois e doze meses, decorrendo, regra geral, em países da União Europeia.

Mais informações sobre o Corpo Europeu de Solidariedade [Perguntas frequentes]

Interessado?

Se gostas de desafios e tens vontade de ajudar os outros, adere ao Corpo Europeu de Solidariedade!

Clica no botão abaixo para dares início ao processo de inscrição. Para que o processo seja tão simples quanto possível, podes inscrever-te através de uma conta de uma rede social ou criar uma conta no EU Login. Consulta a política em matéria de privacidade dos dados.

Adere ao Corpo Europeu de Solidariedade